Guedes defende congelamento de salário dos servidores públicos por dois anos

Durante uma reunião por videoconferência, neste domingo (5), o ministro da economia, Paulo Guedes, defendeu o congelamento de salários dos servidores públicos em um período de dois anos. Tal ação teria como justificativa os gastos com planos emergenciais durante a crise do coronavírus no país.


Junto dos deputados do DEM, Guedes disse que no momento não está cogitando a hipótese de cortar salários dos funcionários federais durante a pandemia, já que o presidente Bolsonaro não quer falar do assunto. A reunião que durou cerca de três horas pontuou que o setor público precisava dar o exemplo. O ministro da economia assegurou ainda que esse congelamento não iria causar risco de gerar uma deflação.


Guedes disse em reunião que a crise econômica gerada pelo Covid-19 pode durar três ou quatro meses. As medidas anunciadas pelo governo para lutar contra o vírus, nomeadas de “Orçamento de guerra”, estimam a saída de R$ 224 bilhões, uma queda na receita, gerando um rombo de R$ 419 bilhões nas contas públicas ainda neste ano.


O SÃO GONÇALO

Postar um comentário

0 Comentários