Bovespa segue despencando após 2ª suspensão dos negócios no dia


A bolsa de valores brasileira, a B3, enfrenta mais um dia de forte turbulência nesta quinta-feira (12), e paralisou as negociações pela segunda na mesma sessão, o que não acontecia desde a crise de 2008. acompanhando os mercados financeiros globais em razão dos últimos desdobramentos ligados à pandemia do novo coronavírus.

Às 14h05, o Ibovespa tinha queda de 18,92%, a 69.041, após a segunda paralisação dos negócios do dia. Caso a queda chegue a 20%, a bolsa pode decidir por nova suspensão dos negócios (a duração será decidida pela própria Bovespa). Veja mais cotações

Às 11h12, o Ibovespa recuou 15,43%, a 72.026 pontos, quando foi acionado o 2º "circuit breaker" do dia - sistema que interrompe os negócios automaticamente quando a queda supera 15%. A paralisação foi de 1 hora. Às 10h22, quando o Ibovespa caía 11,65%, os negócios foram paralisados por meia hora.

No ano, o principal índice da bolsa brasileira passa a acumular queda de quase 40%.

É a 4ª vez na história da B3 que os negócios são paralisados pela 2ª vez na mesma sessão. A última paralisação de 1 hora por queda de mais de 15% tinha ocorrido em 6 de outubro de 2008. Foi também a 4ª suspensão das negociações numa mesma semana – e a primeira vez que isso aconteceu.

Entre as principais baixas desta quinta, Petrobras tinha queda de mais de 29%. Azul PN derretia 33% e Gol PN perdia 37%.

Pelas regras da B3, caso o Ibovespa atinja uma queda de 20%, a Bolsa poderá determinar a suspensão dos negócios em todos os mercados por prazo definido a seu critérios.



G1

Postar um comentário

0 Comentários